REFORMULANDO A NARRATIVA DO EMPREENDEDORISMO

É óbvio que existem custos e riscos associados à tomada de iniciativa.

Mas o que acontece é que a maioria esmagadora do pessoal que chega até mim aprendeu ou entendeu tudo errado.

No longo prazo, os custos e riscos são muito menores do que o preço que você paga por escolher a inércia e o conforto momentâneo.

Aprenda:

Você tem que sujar as mãos.

Quando olho a meu redor, até mesmo dentro das minhas empresas, vejo um número assustador de pessoas que vão fracassar nos seus objetivos. Sei que vão fracassar porque são lentos demais para agir em cima das oportunidades.

São pessoas inteligentes, capazes e com vontade de crescer. Mas que vão fracassar.

Seja por falta de autoconfiança, medo do que os outros vão pensar ou por excesso de preciosismo e planejamento.
Perdem inúmeras oportunidades dia após dia. Simplesmente porque quando veem alguma coisa prosperando, um caminho com uma placa indicativa gigantesca dizendo VAI DAR CERTO!, não têm um pingo de iniciativa de aceitar essa jornada e seguir a indicação.

o pior de tudo é que nem tentam.

Não estou dizendo que você tem que pedir demissão do seu trabalho ou estágio pra começar uma empresa de tecnologia para dominar o mundo.

Você precisa ser prático na sua abordagem. Ou vai perder.

Think small. Comece pequeno. Você vai entender porquê.

A maioria das pessoas vai se ferrar na vida por dois motivos: ou porque tem uma imagem irreal de seus talentos, ou porque quer ser chique.

O primeiro grupo vai se foder porque geralmente são sonhadores, não executores. São pessoas rasas, leitores de headline. Não conhecem profundamente o que fazem e acham que tem mais talento e habilidade do que realmente tem.

Ninguém aqui sai pra jogar bola, marca três gols e quando volta pra casa acha que vai se tornar o próximo Neymar Jr.

Mas por algum motivo as pessoas leem 3 livros de negócios e acreditam profundamente que nasceram pra ser empreendedores, que acharam o propósito de suas vidas e que vão fundar uma empresa de 1 bilhão de dólares. Inacreditável!

Aqui vai uma dica:

Tirar uma iniciativa do chão requer um DNA especial. Tem que ser brigador, obsessivo, saber vender e lidar com a rejeição como se não fosse nada.

Na real, você tem que encarar a realidade das coisas. Você simplesmente pode não ter sido feito para determinadas coisas. É o velho: você não nasceu pra isso.

O que não tem nada de errado em si. Tenha em mente que existem um milhão de outras coisas que você pode fazer com a sua vida e que vão encher seu peito de alegria. Operar um negócio pode não ser uma delas.

O segundo grupo é o mais curioso pra mim. Eles têm o talento, tem o DNA, mas mesmo assim vão se desviar ou mesmo se perder no caminho.

Essa galera vai à lona porque estão mais preocupados em como vão parecer frente aos outros do que com o que estão efetivamente fazendo.

Existe um eterno conflito entre fazer e parecer, um subtrai do outro. Você vai ter que escolher o que quer pra si.

Você não precisa daquele terno, daquela roupa, daquela cadeira, daquele escritório bonito. Não. Você precisa ralar.

Quando comecei a reestruturação aqui da Lince, trabalhávamos em um galpão todo fodido, caindo aos pedaços, fedendo a mofo e com móveis velhos. Mesmo quando começamos a fazer bastante dinheiro, a grana não ia para coisas supérfluas. Tudo voltava pra dentro da empresa como investimento para impulsionar ainda mais nossa trajetória.

A não ser que você tenha nascido em uma família milionária, se você quiser ser chique e ostentar você vai perder.

Sinceramente. Se você nasceu fora desse 0,1% que já nasce com a vida ganha, e você quer de fato ganhar nesse jogo, esteja literalmente disposto a morar em um cubículo com 19 amigos, trabalhar 18 horas por dia de segunda a segunda, usar a mesma roupa 2, 3, 4 vezes por semana, e parar de gastar dinheiro com merdas e imbecilidades. Não tem outro caminho.

As pessoas vendem uma imagem do empreendedorismo sexy e glamorosa. CEO’s andando de jato. Vídeos com mulheres bonitas de biquíni em iates. Fotos com dinheiro na cama, Ferraris e o caralho. Puta que pariu! Isso me enoja.

Tenho aversão a essa cultura de ostentação. Isso tudo é falso. Eu te garanto: ninguém nunca construiu nada vivendo essa vida.

Fique atento. Tudo que ganha mídia geralmente fica distorcido.

Não quero ser pessimista, mas sim reformular a narrativa em volta do que é empreender. O que é operar um negócio de verdade, que faz dinheiro mês após mês e cria oportunidades fantásticas de desenvolvimento social e econômico. Algo pelo qual eu sou apaixonado.

Quero que você que vai começar a empreender (pelo menos tente!) tenha uma percepção realista do contexto que vai encarar.

Porque a quantidade de pessoas que está sendo enganada por uma concepção que não só é mentirosa, mas também seriamente prejudicial, é enorme.

E isso não pode continuar assim. Repito. Sou apaixonado pelo o que faço. E se você tiver iniciativa, trabalhar duro e agarrar com unhas e dentes cada oportunidade que lhe aparecer, vai ter sua visão ampliada.

Vai saber que o trabalho duro é extremamente recompensador.

Isso fala mais de empreendedorismo do que o livro da moda ou um terninho bonito.

  • Muito obrigado por ler! Eu acho fantástico que você tenha se importado o suficiente pra investir o seu tempo aqui.
  • Se alguma coisa nesse artigo ressoou contigo, ou se você acha que alguém que você conhece vai se beneficiar de passar um olho nessas palavras, envia pra ele ou compartilha com seus amigos. Isso significaria muito pra mim, de verdade.
  • Além disso, se você tiver interesse em acompanhar insights e dicas exclusivas sobre empreendedorismo não deixe de me seguir no instagram e no facebook. Você vai poder espiar o dia a dia de alguém que está na jornada de construir suas empresas e ser melhor a cada dia.
  • Também tenho um programa de perguntas e respostas no YouTube.
  • Vamo que vamo!