Porque todo executivo precisa construir sua marca pessoal

(Clique no player acima ☝ para o ouvir a narração do meu post! Depois fale pra mim o que achou dessa experiência).

 

 

Eu sei que pessoas (você) são muito diferentes de empresas.

  • Talvez você ache que não tenha tempo.
  • Talvez você ache que não seja bom em algumas coisas.
  • Talvez você ache a privacidade algo valioso.
  • Talvez você reaja de forma diferente a cada dia.
  • Talvez você tenha experiências frustradas no passado.
  • Mas… lá no fundo, você sabe que precisa fazer algo para ser relevante e competitivo.
  • E… precisa se acostumar com algumas coisas que são indispensáveis nesse novo jogo.

Sei que quando você vê a a expressão “marca pessoal” talvez torça o nariz.

É algo que está na boca de todos os marketeiros e profissionais de comunicação que andam falando besteira por aí.

Talvez você tenha essa reação porque quando muita gente fala sobre uma coisa e não pratica, o discurso fica falso e principalmente vazio.

Mas eu quero que você dê mais uma chance para esse assunto. Quero trazer pra você a urgência desse tema.

Agora, a primeira coisa que quero que você faça é esquecer o termo Marca Pessoal, o debate aqui é sobre como construir reputação em 2018 e pra frente. Essa é a temática…

Construir a sua reputação no ambiente mobile e digital de forma arrasadora.

Falo de agregar uma audiência e ter a atenção das pessoas. Porque, nos dias de hoje, quando se tem a atenção das pessoas, você, profissional mais que habilitado para isso, pode fazer o que bem entender e brilhar.

Porque todo executivo precisa construir sua marca pessoal

A forma que eu vejo as marcas pessoais é um pouco diferente do que você deve ter visto por aí.

Primeiro, porque eu dou muito valor a esse tema. É só dar uma olhadinha na porrada de conteúdo que eu produzo diariamente.

Segundo, porque todo esse conteúdo que eu produzo tem como principais motivos a geração de valor e a construção de uma audiência engajada.

O terceiro aspecto da minha visão das marcas pessoais é que elas são, podem e devem ser usadas para você ter um retorno.

Estou falando de retorno emocional, profissional e, claro, financeiro.

É hipocrisia dizer que o retorno financeiro não é importante.

VOCÊ TEM UMA OPORTUNIDADE EXTRAORDINÁRIA LITERALMENTE NAS MÃOS

Acredito que com o seu nome bem posicionado, você consegue tanto construir um legado pessoal incrível, quanto operar este legado pra qualquer outro novo projeto que deseje tirar do chão. Como essa perspectiva fica muito mais fácil você conseguir entrar no circuito de grandes palestrantes, vender livros e, claro, a sua especialidade: fazer negócios.

Agora, o último aspecto da minha perspectiva quanto às marcas pessoais é bem contra a corrente atual de pensamento.

PENSO SEMPRE NO LONGO PRAZO.

O trabalho que você começar hoje sob a sua reputação não deve estar focado em uma conversão de venda. Não pode mapear pro curto prazo.

Tem que estar ligado a comunicar em escala a sua mensagem e seu ponto de vista sobre os temas que você domina.

Essa visão pode parecer alien pra você que não é um nativo digital, mas a acredite:

Não existe ativo mais importante a ser construído daqui pra frente.

6 motivos para investir na sua marca pessoal

 

  • O protagonismo nos debates sobre os temas e áreas que você atua.
  • O grau de influência.
  • As escala gigantesca de pessoas que você tem acesso.
  • Ser o dono dos seus dados & analytics para operar essa posição com inteligência em direção aos seus objetivos.
  • Direcionamento da sua reputação para novos projetos.
  • Oportunidade de monetização em escala (novos negócios, palestras, livros, fundraising, captação de investimento, etc…).

Você acha que conhece o Warren Buffet, o Ellon Musk, o Gustavo Caetano, o Rony Meisler e tantos outros por acaso?

Ingênuo… frente a todas as suas conquistas me assusta você não perceber que esses nomes nada mais são do que estratégias de comunicação extraordinariamente bem executadas.

Empresários e empreendedores de sucesso o mundo tem milhões! Mas você conhece apenas poucos deles. Pense. Porquê?

É né? Está mais do que na hora de você criar e crescer o ativo mais poderoso e flexível que existe, a sua reputação.

Aí chegamos à grande questão deste texto…

Como desenvolver sua marca pessoal

Na Era Digital, reputação virou sinônimo de distribuição + credibilidade e, consequentemente, maior valor percebido para empresas e marcas. Trazer isso para além do seu principal negócio é a chave do que eu quero te demonstrar.

Agora é você que está no centro. E isso não tem nada de narcisismo, ego ou qualquer outra bobagem que você queira colocar como desculpa, trata-se de uma estratégia real.

Trabalhar a reputação permite que líderes como você revelem-se como verdadeiras referências por meio dos conteúdos que produzem e da exposição que têm.

Atenção, executivos!

Para você que é um executivo e deseja investir e melhorar sua marca, te apresento dois passos fundamentais.

O primeiro provavelmente você já realizou, que é tornar-se um especialista no assunto em que desenvolve sua atividade ou setor.

Fico pasmo com esses life coaches de 22 anos que querem construir marca antes mesmo de terem resultados que legitimem a posição que pretendem ocupar. No entanto, muito provavelmente você não é um desses.

Você tem uma marca pessoal para começar

Você tem resultados reais e um ponto de vista valioso a ser compartilhado. Acredite. Aqui a sua experiência conta mais do que qualquer diploma.

É com isso que você vai abrir caminho para o segundo passo: ganhar escala. E sou muito específico quando digo isso. Escala significa produzir e distribuir conteúdo em quantidades gigantescas na web. Essa etapa é simplesmente sobre garantir que sua presença online seja notada em meio ao ruído das redes.

Tudo isso porque o objetivo é ganhar o top of mind das pessoas na área que você escolheu para erguer o seu nome. Um dos principais aspectos dessa estratégia é tornar-se conhecido em seu segmento de mercado e campo como aquele go-to-person em quem os outros podem confiar para obter informações e confiança. Ou seja, ser o popular especialista ou autoridade no assunto.

Por onde começar

Escreva artigos, grave vídeos, poste fotos, FAÇA. Foi assim que o Flávio Augusto construiu a sua reputação. Mostre que você é um “influenciador-chave” e “diferenciador-chave” nesse assunto e aproveite para fazer parte da conversa com suas opiniões nos posts para outras pessoas.

Ao se dedicar ao mundo digital através do fornecimento de conteúdo relevante, pensamentos impactantes e ideias inovadoras que dependem quase que exclusivamente da sua própria experiência pessoal de liderança, você verá um aumento fantástico em como é visto e valorizado. Dentro e fora do mercado, você se tornará uma referência.

Além disso, você também se tornará mais envolvido em seu setor e se encontrará colaborando com mais frequência com outros líderes de pensamento, além de formar parcerias estratégicas. E o melhor de tudo é que ser uma pessoa de destaque para um número monstruoso de pessoas nunca esteve tão acessível como é nos dias de hoje.

ceo executivo internet influencer digital

Não seja apenas mais um, pelo amor de Deus

Chega de usar a mesmas estratégias que todo mundo. Todo executivo um pouco mais ligado já tem um perfil bonitinho no LinkedIn que é atualizado de maneira chata, pacata e corporativa. Maneiro, deposito um mínimo de esperança em você. Tenho que ser sincero, assim você é só mais um no meio de outros milhares de empresários bem sucedidos que fazem a mesma coisa. Você sabe. Você não está nem arranhando a superfície das oportunidades com essa postura.

Mesmo que você foque nisso pra valer, não vai rolar.

Trata-se de ocupar espaços. E nesse caminho é impossível não dar às plataformas sociais a sua devida importância.

Mídia social é o caminho

É através das mídias sociais que se constrói qualquer marca hoje em dia. Você sabe disso. Não é à toa que o Uber, a maior empresa de transporte do mundo, funciona nesse ritmo. Por isso que o Airbnb não precisa de nenhum hotel pra ser o mais valioso negócio de hospedagem do mundo. Não é coincidência que a Netflix tomou a dimensão que tem hoje e a Blockbuster, gigante da locação de vídeos, teve o fim que todo mundo conhece. Essa é razão porque o Google construiu um verdadeiro império apenas organizando as nossas pesquisas na internet. Os exemplos vão aos montes Aliexpress, Amazon, PayPal e uma porrada de empresas que surgiram nos últimos anos operam no ritmo das mídias sociais.

Mas surfar nessa onda não é privilégio das corporações. Vejo o que atletas e celebridades estão fazendo. Todos que estão vencendo nesse jogo apostaram nas mídias sociais e já estão colhendo os frutos.

A diferença de quem vence nesse novo e cada vez mais competitivo campo de batalha está em como você ataca essa oportunidade.

Adeus ao Romantismo de como as coisas eram feitas

Esqueça o romantismo de como as coisas funcionavam na sua época. Você sabe que precisa de um esforço maior para continuar na posição que ocupa. E eu também sei que você tem essa pontinha de vontade de mostrar a sua cara, apresentar pra todo mundo o seu modo de ver as coisas. É nisso que quero que você se aposte. É aí que as mídias sociais entram e você também.

Você precisa ter o seu programa no YouTube, mostrar sua cara no Instagram Stories, atualizar semanalmente seu blog, edificar sua reputação nas mídias sociais e ser o Rei dos executivos da sua área.

Mas agora você deve estar se perguntando…

“Como eu vou arrumar tempo para fazer tudo isso se tenho duas ou três puta empresas para comandar?”

Sua máquina de conteúdo

Você não tem tempo, mas tem uma necessidade enorme pulando na sua cabeça. Você, assim como eu, sabe que não existe jogo ganho.

Esse negócio de que em time que está vencendo não se mexe definitivamente não se aplica aos negócios de hoje e muito menos às mídias sociais. De uma hora pra outra você pode se afundar na merda e a melhor coisa que pode fazer hoje é se preparar pra 2023.

No entanto, não é mole se tornar uma máquina de conteúdo. Às vezes você precisa até mesmo de uma empresa especializada para tocar isso junto contigo.

Mas eu tenho algumas dicas para você começar a sua nova carreira:

  • Produza conteúdo
  • Produza muito conteúdo
  • Produza conteúdo pra caralho.

Não tem mistério

Eu mesmo que invisto centenas de milhares de reais por ano em produção de conteúdo e distribuição paga, acredito profundamente que estou investindo pouco ainda. Tanto que a cada 2 meses dobro meu investimento e não me arrependo.

A base da influência que você vai proporcionar nas redes depende do número de conteúdo que você produz e da forma que os distribui em escala . É isso que vai fazer a sua reputação decolar.

Sei que você tem muita coisa pra compartilhar. Não duvido do seu repertório e da sua capacidade. Você não chegou aonde está sem ter aprendido nada. Você tem muito conteúdo dentro de si mesmo.

Quero que você faça uma coisa…

Compartilhe o seu ponto de vista

Eu mesmo com o Titan gosto de trabalhar com conteúdos de pilar.

Você não tem tempo de sobra na sua agenda, por isso vai trabalhar com inteligência.

Você vai gravar um ou dois conteúdos principais e a partir deles vai destrinchar em micro-conteúdos.

A dinâmica é produzir cerca de 20 minutos de vídeo ou áudio. Você pode gravar programas para Facebook, IGTV, YouTube e podcast.

Você ainda pode aproveitar e fazer um “ao vivo” durante as gravações. É mais um conteúdo para você aproveitar. Pronto.

Agora veja o que você pode fazer com 20 minutos de gravação:

  • 4 artigos para o seu blog a partir dos temas que falou e dos argumentos que usou. Espalhe esse conteúdo no seu site pessoal, na sua conta do Medium e no Pulse do seu LinkedIn.
  • De 10 a 20 drops em vídeo com trechos das suas gravações para postar no Facebook, Instagram e Twitter.
  • De 30 a 40 frases e imagens impactantes que você fez para o seu conteúdo de pilar.

Cara, você tem 20 ou 30 minutos do seu tempo para produzir esse tipo de conteúdo. Só com esse material você pode expandi-lo e criar a programação de uma semana inteira de conteúdo original e exclusivo SEU.

É assim que você vai virar uma máquina de conteúdo.

Não tem criatividade e tempo pra bolar nada diferente?! Parta para o usual que dá MUITO certo…

Faça um programa de perguntas e respostas

Peça para a galera mandar perguntas relacionadas ao tema que você domina e responda para a câmera. Simples assim

Quantos programas na Tv ou na internet você não vê assim? Mesas redondas e programas de entrevista são dois tipos de programa que dependem mais dos apresentadores do que da produção em si.

É isso que quero que você entenda…

Você tem conteúdo de sobra, basta gravar e distribuir.

Outra coisa: documente o seu dia a dia. Você tem que fazer Stories frequentes para o Instagram. Essa é uma das features que revolucionaram a história recente das mídias sociais.

Mire o celular para a sua cara antes e depois das reuniões e atividades que for fazer e ganhe mais conteúdo e exibição da sua marca. Cada Storie tem cerca de 15 segundos.

Entre apontar o celular, gravar 15 segundos de fala e postar, você não gasta mais de 1 minuto. E você não sabe o grau de atenção que o Stories tem. Experimente. Pesquise. Veja quantas pessoas visualizam um Storie que você posta. É uma atenção sem precedentes o que tem esse formato de micro-conteúdo.

Fascinante. Conteúdo de pilar, micro-conteúdos do dia a dia e distribuição otimizada. Agora você tem o tripé da produção de conteúdo em escala.

A distribuição pode fazer ou quebrar sua estratégia

Sua marca pessoal no caminho certo

Você tem duas vias para seguir: hackear cultura e mídia paga. Gosto das duas.

Hackear cultura é ser certeiro com seu conteúdo de pilar e seus micro-conteúdos. Insisto no poder dessa estratégia porque provei na prática que dá muito certo. Você chegou até mim e está aqui lendo meu texto até agora, não é mesmo?

Pois bem. Quando você entende como a sociedade consome conteúdo hoje em dia percebe que deve atingir as pessoas em micro-momentos.

Isso significa que você tem poucos segundos para trazer as pessoas para ouvir o que tem pra falar. É um jogo divertido. Você vai produzindo e testando o que chama mais a atenção das pessoas. Por isso você deve produzir bastante.

É na quantidade que você vai chegar até as pessoas. É matemático. A probabilidade está do seu lado. Faça por onde.

Quando você desvendar o que as pessoas gostam de consumir nos micro-momentos você vai ser caminho certo e fazer a sua audiência.

Agora, quando falo em mídia paga estou chamando a atenção para a necessidade de alcançar as pessoas em escala e “on-demand”. Mas uma coisa não exclui a outra, pelo contrário, elas se complementam.

Você vai criar e segmentar públicos nas mídias sociais e impulsionar suas publicações. É aí que você funde as vias que mencionei.

Sua estratégia não vai dar certo se o conteúdo impulsionado não se adequar aos micro-momentos do seu público.

Um caminho de faixa dupla

Além disso, você pode estabelecer parcerias com outros influenciadores digitais. Chame eles para participar do seu programa no IGTV e aceite o convites para participar de YouTube shows que agreguem ao seu perfil. Hackear cultura parte de tudo isso.

Também use do seu poder econômico. Pague para influenciadores mencionarem seu nome em postagens. Mas lembre-se… Faça com que toda influência que você buscar, tenha sentido diante do contexto em que sua mensagem será consumida. Isso faz toda a diferença.

Maravilha. Agora você sabe que precisa dar a sua cara a tapa e conquistar o seu lugar nesse verdadeiro novo mundo. É só mais desafio que em sua carreira já cansou de vencer e agora precisar dar um passo mais largo.

O jogo está posto

É isso. Assim como você se dedica aos negócios, agora precisa voltar sua atenção ao desenvolvimento da sua reputação (marca pessoal) através da produção de conteúdo.

O mindset agora é outro. Você precisa da atenção das pessoas. É como eu venho falando: você precisa agir como uma rede de mídia.

A internet é o seu principal meio de comunicação. Você vai usar as principais plataformas sociais da internet pra fazer o seu branding.

E, sinceramente… É binário. Jogo de zero ou um. Ou você entende isso hoje e sai na frente, ou espera pra correr atrás do prejuízo quando se tornar mais óbvio ainda que é pra lá que o mundo está indo.

  • Muito obrigado por ler! Eu acho fantástico que você tenha se importado o suficiente pra investir o seu tempo aqui.
  • Se alguma coisa neste artigo ressoou contigo, ou se você acha que alguém que conhece vai se beneficiar destas palavras, envie pra ele ou compartilhe com seus amigos. Isso significaria muito pra mim, de verdade.
  • Além disso, se você tiver interesse em acompanhar insights e dicas exclusivas sobre empreendedorismo não deixe de me seguir no Instagram e no Facebook. Você vai poder espiar o dia a dia de alguém que está na jornada de construir suas empresas e ser melhor a cada dia.
  • Também tenho um programa de perguntas e respostas no YouTube e um Vlog no qual você pode acompanhar minha rotina de empreendedor e de triatleta apaixonado.
  • Vamo que vamo!