O Recorde Mundial: Por trás da estratégia da maior live do mundo

Nos últimos dias eu investi muito tempo refletindo e analisando o porquê da Avellar ser a agência cuja campanha bateu o recorde mundial.

Todas as razões lógicas sugerem que não deveria ter sido a gente, afinal, sempre existe alguém com mais recursos, mais dinheiro, mais acesso… Poderia ter sido qualquer agência do mundo. Fomos nós.

Para entender exatamente como fizemos veja o PDF abaixo. Faça o download para compartilhar com seus amigos ou grupos.


E cheguei a uma conclusão. Essa conclusão é muito importante. Digo mais, vale para qualquer pessoa no planeta terra que esteja querendo fazer algo relevante e inovador, pois vai sempre existir alguém com mais recursos que você.

A razão pela qual eu acredito que realizamos esse feito, é porque nós nos importamos muito mais do que todas as outras empresas com a transformação da publicidade.

Todas as mudanças que nós estamos trazendo pro mundo de publicidade, desde o modelo de Partnership, a forma como tratamos as pessoas, o digital sendo o centro de tudo, dados, social, voz, cultura… para tantas outras empresas isso é buzzword ou algo que ameaça o próprio modelo atual da companhia, enquanto para nós é o nosso norte. Existimos para reescrever as regras da publicidade.

Nós sabemos que sempre vão existir os céticos para discordar do que acreditamos. Os que acreditam que essa não é a forma que a indústria funciona, que os conglomerados e as holdings mandam no jogo, que o Brasil investe 80% do dinheiro em offline, e vários outros argumentos falhos. A história vai provar alguém correto.

Esses céticos existiam quando éramos uma empresa de 3 pessoas, quando o escritório era na Favela da Maré, no Rio de Janeiro. Eles continuaram existindo quando tínhamos 30 pessoas no time, quando mudamos para a Barra da Tijuca, quando a XP Investimentos tirou a sua conta de uma das maiores agências do mundo e deu para gente. E, continuam existindo agora que temos mais de 100 pessoas, escritórios no Rio de Janeiro e São Paulo. Afinal, eles sempre vão existir.

Mas, enquanto nós nos importarmos o suficiente com a causa de mudar fundamentalmente as engrenagens da nossa indústria, nada disso vai nos afetar. Vamos continuar batendo recordes, crescendo, e moldando o futuro dessa mesma indústria.

abssssss, Rapha