O Novo Modelo de Negócios

(Clique no player acima ☝ para o ouvir a narração do meu post! Depois fale pra mim o que achou dessa experiência.)

Muita gente ainda se confunde com tudo que a internet trouxe para o nosso mundo.

Isso vai desde pessoas achando bizarro a Amazon comprar o WholeFoods até o surgimento dos Youtubers, Influenciadores, Criadores de Conteúdo, Milionários de Bitcoin aos 16 anos, Atletas de e-Sports… you name it.

Fato é que muita gente se perdeu e não consegue mais acompanhar as engrenagens que movem tech, a mídia e a própria sociedade.

Mas não vim aqui pra passar a mão na sua cabeça e dizer que tudo vai passar. Não vai.

Vivemos um shift estrutural na forma como se faz negócios no mundo moderno.

Chega mais… 😉

twitch gaming esports

Dois modelos de negócio ultrapassados

Ao longo da história, existiram duas formas clássicas de como começar um negócio.

  • Inventando um Produto ou Serviço.
  • Encontrando um Problema pra Resolver.

Na primeira forma você tinha uma ideia, produto ou serviço, ia até o mercado e tentava vender isso pra alguma pessoa.

Já a segunda forma você partia de um problema e inventava a forma de resolver aquilo.

O que mudou?

O grande diferencial em relação ao outro modelo era o direcionamento.

Não era do produto em direção ao mercado, mas do mercado ao seu produto.

Você identificava um problema ou carência no mercado e fazia algo para solucionar ou suprir essa necessidade.

Um modelo começa do seu produto e vai até o mercado, e o outro vai do mercado até a sua solução.

O que vivemos hoje em dia é um duro golpe nesses dois modelos de fazer negócios.

Um novo modelo de negócios

Talvez esses dois modelos de negócio que apresentei nunca deixem de existir completamente. Quero que isso fique claro.

As pessoas podem continuar aceitando esse tipo de postura. Podem continuar consumindo produtos ou comprando soluções.

Mas eu tenho que dizer e ser bem sincero em colocar aqui uma realidade incontestável.

Todos os players que estão arrebentando hoje em dia não seguem nenhum desses dois modelos de negócio.

Os tempos mudaram

É evidente. Não existe clichê maior que esse.

Mas entendo que clichê nada mais é do que você ver uma coisa óbvia e não fazer nada a respeito disso.

Você sabe que tudo mudou. Com a internet e os dispositivos móveis nada mais funciona como antigamente.

Vejo muita gente que ainda não abriu os olhos pra isso. Ficam presos ao clichê.

Apegar-se ao romantismo de como as coisas eram literalmente não vai te levar a lugar nenhum.

A forma como você faz negócios também mudou

Agora, você não precisa de um produto para trabalhar em cima.

Você não tem que ter um serviço para oferecer. Você pode não ter e nem mesmo procurar um problema para resolver no mercado.

O seu objetivo na era digital pode ser simplesmente conquistar atenção.

Esse é o novo modelo de negócios.

Veja que usei o termo conquistar com um propósito. Conquistar não é simplesmente persuadir alguém a comprar um produto.

O novo modelo de negócios que eu defendo aqui não tem nada a ver com a postura de vendedor nos moldes que conhecemos.

O novo modelo de negócios consiste na forma como você cria, entrega e angaria valor para ter a atenção das pessoas.

A grande parada é pura e simplesmente criar, manter e ampliar o seu alcance. Falo de conquistar uma audiência massiva.

É aí que o jogo vira. Quando você captar e crescer essa audiência, aí sim vem o segundo e decisivo passo: Monetizar.

Porque esse modelo dá muito certo

Trata-se de encarar a forma de fazer negócios de maneira colaborativa. Você gera tanta atenção mais tanta atenção que as pessoas vão estar sedentas para colaborar contigo.

A adesão é monstruosa. Veja o exemplo de influenciadores como Bruna Vieira.

Quem um dia imaginou que a sua melhor amiga da escola, por mais maneira e descolada que fosse teria uma legião de fãs e seria uma referência em comportamento e estilo de vida para toda uma geração de jovens e adolescentes.

Para você ter uma noção do tamanho da atenção que a Bruna tem, preciso te dizer que ela alcança mais de 5 milhões de seguidoras e seguidores nas mídias sociais.

O que você faria se angariasse esse nível de atenção?

É nisso que essa tese se baseia.

O Felipe Neto, outro monstro das redes sociais, tem um dos maiores canais de YouTube do mundo e usa muito bem a atenção que tem.

Uma das formas que ele respondeu ao meu questionamento acima foi vendendo coxinha. Bizarro, não?!

Ainda não sacou a potência assombrosa desse novo modelo de negócio? Então chega mais!

via GIPHY

Transformando audiência em dinheiro

Haters a parte, Felipe Neto tem uma audiência boçal. Mais de 21 milhões de seguidores somente no YouTube. E o que ele faz com isso?

Converte em negócios. Com a atenção que ele conquistou, abriu uma franquia de coxinha que projeta ter outros 30 quiosques espalhados pelo país até 2020.

Além disso, ele teve o livro mais vendido de 2017. Já no pré-lançamento vendeu 25 mil exemplares. É um número gigantesco para o mercado editorial brasileiro.

Ele e seu irmão Luccas Neto têm diversos outros empreendimento, mas frisei o lance da coxinha pra dizer que você pode tudo com a sua audiência.

Ele ainda faz eventos, participa de programas e ganha horrores com publicidade.

Tudo isso graças ao novo modelo de fazer negócios que as plataformas sociais tornaram algo acessível para todo mundo.

Basta virar a chave

A grande sacada está em conquistar atenção e depois operá-la para seus objetivos.

Muita gente fica com essa de que dinheiro não é tudo, mas isso faz parte da vida. É claro que você precisa gerar valor, mas também ser recompensado é essencial.

A parada é essa. Os modelos de negócio de antigamente já estão saturados. É muito mais difícil alcançar resultados significativos da forma antiga.

Sem falar que angariando atenção você consegue viver a vida nos seus termos com aquilo que mais gosta.

É o que os fundadores do Omelete, portal especializado em cultura pop, fizeram e muito bem.

Vencendo nesse jogo

Dois nomes por trás desse sucesso estrondoso são Erico Borgo e Marcelo Forlani.

Tudo começou com um blog e depois com um portal sobre coisas que eles gostavam: séries, filmes e games.

Com isso foram conquistando atenção da pessoas que tinham a mesma paixão que eles pela cultura geek que emergia com toda a força.

Hoje, são praticamente 20 anos de dedicação do Omelete à sua audiência. Com isso, faturam mais 6 milhões de reais por ano só com o Portal.

Além disso têm o Omeleteve, e-commerce e o maior evento de cultura pop em público do mundo: a Comic Con Experience, CCXP para os íntimos.

Nos três dias que rolam a CCXP, o evento movimenta algo em torno de 50 milhões de reais.

E mais uma vez antes que alguém fique confuso…

Ninguém precisa fazer milhões, mas será que você tem a cara de pau de falar pra mim que ganhar 3 mil por mês fazendo aquilo que ama não é muito melhor do que ganhar 5 e odiar a sua vida?

Aí que está mais um diferencial. Quando você centra suas ações primeiramente na atenção das pessoas.

O que fazer com a atenção das pessoas

Quando você tem a atenção das pessoas pode fazer o que quiser.

Antigamente, você esperava alguém dizer se tal produto era bom ou não. Se aquele serviço resolveria meu problema ou não.

Você era convencido a comprar um produto pela insistência da Tv ou de algum amigo, parente ou especialista.

Com a internet, a atenção saiu dos meios de comunicação tradicional e passou para o celular e as mídias sociais.

Elemento fundamental do novo modelo de negócios

Hoje, você acrescentou mais um elemento a essa equação: os influenciadores digitais.

Você acredita mais no Iberê Thenório do que no seu professor de química. Você conhece mais da vida do Whindersson Nunes do que do seu próprio irmão.

Confia mais no Flávio Augusto do que no seu pai. Se espelha mais na Gabriela Pugliesi do que em sua própria mãe.

É disso que estou falando.

A influência que essas pessoas ou marcas (tem diferença?) têm sobre as pessoas é fantástica.

No passado, milhares de barreiras estavam entre você e a formação de uma audiência massiva. Abra seu Instagram.

Veja quantas pessoas tem 30K, 100K, 1 milhão de seguidores.

A atenção agora é difusa. Você pode ser uma especialista em maquiagem para 12 milhões de pessoas.

Bianca Andrade, nascida e criada no Complexo da Maré, hoje é essa referência.

A dona do canal Boca Rosa é uma verdadeira unanimidade nas mídias sociais.

Hoje, Bianca tem imóveis por todo o Rio de Janeiro (Bonsucesso, Del Castilho e Barra da Tijuca) e estrela campanhas publicitárias com astros como Ivete Sangalo, Anitta e Luan Santana.

Além disso, fatura uma barbaridade com seu curso de maquiagem online.

É real. As pessoas que estão investindo nisso realmente estão arrebentando.

O modelo de negócios baseado na atenção das pessoas mudou tudo.

Mas o que mudou?

Cara, coloquei uma dezena de exemplos de como esse modelo de negócio realmente funciona. Homens, mulheres e marcas.

Não é a toa que você vê cada vez mais pessoas se arriscando nessa jornada.

Os modelos tradicionais já não tem tanto poder. Construir uma audiência e ter a atenção das pessoas envolve contar uma história envolvente, produzir conteúdo e gerar valor.

O que mudou é que a marca vem bem antes da venda.

Branded Content

Hoje em dia você tem várias pessoas que criam a marca e só depois os businesses. Esse é o ponto!

Porque quando você tem um trabalho de branding forte, tem mais poder de preço, e de quebra a lealdade das pessoas.

Não é só um curso de make bom como todos os outros. É o curso de uma pessoa que você admira. Não é só uma coxinha com recheio de Nutella. É a coxinha do Felipe Neto.

Não é apenas a Avellar Media, é agência de publicidade do Rapha… Sacou?

Trata-se de alguém que conquistou você pelo conteúdo, jeito de ser e tem autoridade para fazer o que faz.

O grande lance da atenção está em mover as pessoas pela gratidão

Você gerou tanto valor para alguém que essa pessoa vai te retribuir de alguma maneira.

Acredito fortemente em gerar tanto valor que deixe as pessoas culpadas por não estarem te retribuindo de alguma maneira.

É o mesmo que acontece quando um amigo ou colega de trabalho te faz um favor mesmo sem você ter pedido nada.

Você se sente motivado a ajudar aquela pessoa a fazer alguma coisa. Essa dinâmica é maravilhosa.

Não estou falando de compra ou venda de produtos e serviços. É gratidão. É troca. É relacionamento.

E, tenho que ser sincero…

Você só consegue isso quando tem a atenção das pessoas.

  • Muito obrigado por ler! Eu acho fantástico que você tenha se importado o suficiente pra investir o seu tempo aqui.
  • Se alguma coisa nesse artigo ressoou contigo, ou se você acha que alguém que você conhece vai se beneficiar de passar um olho nessas palavras, envia pra ele ou compartilha com seus amigos. Isso significaria muito pra mim, de verdade.
  • Além disso, se você tiver interesse em acompanhar insights e dicas exclusivas sobre empreendedorismo não deixe de me seguir no Instagram e no Facebook. Você vai poder espiar o dia a dia de alguém que está na jornada de construir suas empresas e ser melhor a cada dia.
  • Também tenho um programa de perguntas e respostas no YouTube e um Vlog no qual você pode acompanhar o meu dia a dia de empreendedor e de triatleta apaixonado.
  • Vamo que vamo!