CRIA: Tese e Visão

Você já conhece a CRIA? 

ATENÇÃO: a abertura da turma será dia 16 de dezembro e disponibilizamos apenas 200 vagas por conta do suporte exclusivo. 

Baixe a nossa ementa aqui para receber mais informações.

Mas se você ainda não sabe o que é nem qual é a nossa visão, aqui vou tentar tirar o máximo de dúvida que você possa ter.

A CRIA nasceu de uma dor minha

O projeto nasceu a partir de uma dor que existe em mim há, pelo menos, cinco anos.

De lá para cá, eu entrevistei cerca de 1.300 pessoas e contratei mais de 200-300. Só ao longo do último ano, na Avellar Media, trouxe mais de 100 profissionais.

E no decorrer deste ano escalando a agência, uma das minhas principais dores era conseguir pessoas que, de fato, compreendessem o ecossistema digital e soubessem como criar estratégias de impacto nesse novo mundo.

E eu me dei conta de que essa é uma dor que, na verdade, permeia todos os profissionais, dos diretores aos profissionais de entrada.

Me chamava – e ainda me chama – muito a atenção a incompetência prática dos profissionais que saíam da faculdade.

“Como assim incompetência prática, Rapha?” você pode estar se perguntando.

Simples, o que eu via era que todos eles tinham muito conhecimento teórico da era passada, mas que não supria o movimento que o mundo tomou nos últimos quatro anos.

O mundo mudou tanto nesse tempo que o que eles entraram aprendendo na faculdade já não servia mais quando eles saíram de lá. 

Você nem deve se lembrar, mas há quatro anos não existia Instagram Stories, TikTok, pouquíssimas pessoas ouviam Podcast e ninguém usava LinkedIn como plataforma de conteúdo. Isso só para dar um exemplo.

Várias das coisas que são ultra relevantes para todo mundo hoje, nessa época ninguém usava. O fato é que vivemos uma desconexão tremenda entre o que os currículos ensinam e o que o mercado precisava.

As pessoas se assustam quando eu digo que todos os profissionais recém-formados que eu contrato aqui são incapazes de sentar na cadeira e agregar valor, mas essa é a verdade.

Eles precisam ser ensinados e treinados e isso é absolutamente bizarro, pois acabaram de passar 4 anos se preparando para este momento.

A única coisa que se passa na minha cabeça é me perguntar por que as pessoas estão investindo milhares, às vezes centenas de milhares de reais, numa formação que não os aproxima da realidade do mercado.

O caminho até chegar à CRIA

Antes da CRIA “ser” a CRIA, a minha primeira ação foi criar um programa interno com duração de uma semana. Não demorou muito pra eu entender que isso não era nada.

Então a próxima medida foi estruturar um programa de quatro semanas. E assim fizemos. 

Mas, mais uma vez, percebi que quatro semanas ainda não seriam suficientes. Eu virei para a minha equipe e falei: esse é um programa de, no mínimo, três meses.

E assim fizemos. E deu certo. Mas aí a gente também percebeu que a nossa dor também era a dor de 90% das pessoas que estão se formando e, consequentemente, das empresas que contratam essas pessoas.

Os recém-formados PRECISAM saber como sentar numa cadeira e iniciar um projeto, usar uma ferramenta, conhecer metodologias práticas e ter a teoria certa. 

A CRIA existe para suprir essa demanda que as faculdades não conseguem suprir.

E quando eu digo que o sistema de ensino global é arcaico, eu não estou sendo generalista. As salas de aula das instituições em 2019 são idênticas as de 1.800.

Ou seja, avançamos 200 anos na história, lidamos com a chegada da tecnologia, com todas as mudanças do mercado, mas continuamos a ver um ensino completamente estagnado.

Mas como ser um aluno?

Simples: no dia 16 de dezembro lançaremos a nossa primeira formação, que tem duração de três meses.

Nós trouxemos nomes FODAS do mercado como Rafael Pereira (Head de Growth do Descomplica), Vinicius Comper (CMO da Lev Bicicletas) e a Stela Mazoli (Head de Agile Marketing da Magazine Luiza) e muitos outros para compor o time de professores.

Além disso, uma série de casos de sucesso reais de GIGANTES do mercado, como o Ramon Thurler (Business Intelligence Director da Pareto Group) e Alessandra Giner (CMO da Stone).

São mais de SETENTA HORAS de conteúdo, que envolvem cases, bancos de questão e aplicação prática em ferramentas que os maiores profissionais do mercado fazem uso no seu dia a dia.

Esse programa inicial é dividido em duas linhas de aprendizagem: a que ensina o lado pragmático do profissional moderno – Estratégia e Performance – e a que ensina o lado criativo, artístico, fora da caixa desse profissional – Direção de Conteúdo. 

E esse é apenas o primeiro programa. No primeiro semestre do ano que vem vamos lançar um programa de formação ainda mais completo, cuja visão é simplesmente a de substituir a faculdade e fazer em 1 ano o que as faculdades fazem em 4.

Quem já for aluno obviamente terá inúmeras vantagens de acesso e benefícios para o programa completo.

Lembrando: SÃO APENAS 200 VAGAS. Pois o suporte personalizado é um grande diferencial do nosso Programa de Formação em Estratégias Digitais. Já temos mais de 7mil pessoas pré cadastradas na lista. As vagas serão distribuídas por ordem de data/hora do pagamento da matrícula.

Significaria o mundo pra mim se você se inscrevesse.

Clique aqui agora para baixar a ementa e conhecer todos os detalhes do Programa de Formação em Estratégias Digitais da CRIA.

Veja o que os principais veículos de mídia do pais falam sobre nós:

MEIO E MENSAGEM
ADNEWS
PRESS
GRANDE NOMES DA PROPAGANDA