Como construir um negócio de verdade

Eu percebo que cada vez mais o empreendedorismo tem se tornado apenas algo sexy para as pessoas.

Enquanto muitos ainda utilizam o empreendedorismo para ostentar um estilo de vida, ou ter um cargo bonito na bio do LinkedIn, me questiono se eles realmente entendem o que é construir um negócio real.

Ou seja, no meio dessa esquizofrenia em montar uma start-up para captar investidores e vender “a grande ideia”, por muitas vezes, com pouca rentabilidade, se perdeu o principal conceito, que é criar um negócio pro longo prazo.

No entanto, eu não estou criticando o movimento empreendedor e a cultura das start-ups. Acho fascinante essas novas possibilidades de negócios.

Mas pergunto todos os dias onde está a discussão sobre as milhares de empresas que faliram porque focaram suas energias e seu tempo em construir um brinquedinho para agradar os modelos financeiros dos investidores. Ao invés de construir um negócio sólido de verdade. Pautado na estrutura e não somente na aparência.

Será que sou apenas eu que penso que essa mentalidade de focar nos milestones do próximo round é míope?

Se eu parasse pra contar o número de vezes em que optei por deixar grana na mesa pra tomar uma decisão de longo prazo me faltariam dedos!

O LANCE É GANHAR O JOGO, NÃO O PRIMEIRO SET

Nessa cultura de “conseguir investidores” vejo tanta gente focando 100% do seu tempo em melhorar seu pitch, ajustar as projeções, literalmente acreditando que se levantarem dinheiro suficiente magicamente o negócio vai dar certo. Errado.

Acredito no fato de que aprender a criar coisas que as pessoas queiram e saber comunicar isso, ganhar dinheiro de verdade, isso sim.. é uma habilidade crucial no desenvolvimento de qualquer empresa.

Não é necessário ser nenhum gênio pra queimar 1, 2 ou 3 milhões de reais por mês. Mesmo assim, todos os dias, encontro empreendedores que são realmente bons em perder dinheiro e depois conseguir mais capital… só para perder mais dinheiro no ano seguinte.

Essa cultura de comemoração do fracasso, onde qualquer um consegue um funding de 1 milhão de dolares para sua empresa no power point é bizarra. Estão ensinando as coisas erradas aos jovens.

Uma porrada de garotos de 17, 18, 19 e 20 anos pensam que a maior habilidade que podem aprender é a de conseguir investimento.

Eles pensam que para ser um empreendedor só precisam aprender sobre valuation, stock options, acordo de acionistas e aprender a modelar os custos de aquisição de clientes e as projeções de receita.

E antes que você me entenda errado o problema não é o conhecimento…

…O PROBLEMA É QUE ELES QUEREM APRENDER NÃO PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO, MAS APENAS PARA GARANTIR SUA PRÓXIMA RODADA DE FINANCIAMENTO!

Devido a glamouralização do empreendedorismo perdemos fundamentalmente a arte de construir um negócio real. Um negócio rentável, que paga suas próprias contas e faz dinheiro hoje.

Ao longo deste processo todo e 3 negócios de sucesso depois… continuo focando somente em 4 coisas: um framework meu super simples de entender, mas que exige aptidão real de negócios para executar.

O Framework é baseado em 4 pilares:

  • Rentabilidade;
  • Retenção;
  • Resultado;
  • Relacionamento.

Rentabilidade

A premissa básica para qualquer negócio operar de maneira saudável é que ele precisa ganhar dinheiro em algum momento.

Ou seja, você pode ter uma ideia excelente, mas se ela não é rentável, você apenas irá crescer. No entanto, não terá o retorno financeiro adequado para se manter.

Esse modelo de crescimento sem pensar na rentabilidade é bastante aplicado na cultura de start-ups hoje em dia.

As pessoas acabam postergando a eficácia comercial e o resultado de suas operações em prol do crescimento.

E em 97% dos casos, ela nunca vem.

Parece bizarro ter que falar isso, mas pequeno é o debate sobre ganhar dinheiro de verdade enquanto seu negócio cresce atualmente.

Retenção

Essa é uma dúvida que eu nunca tive:

A única forma de escalar um negócio é conseguir manter os clientes que fazem negócio comigo.

Ou seja, diferente de muitas pessoas que acreditam que o crescimento é somente na ponta de colocar contratos novos para dentro, é extremamente importante manter os clientes que já estão dentro da companhia. 

Sim, você precisa colocar cliente para dentro. 

No entanto, se não consegue reter os clientes antigos, a sua companhia vai viver em um eterno tapa buraco.

E como conseguir otimizar a retenção dos seus clientes?

Resultado

Todas as pessoas que contratam uma companhia para realizar serviços e escalar negócios, tem apenas um desejo: precisam resolver alguma dor.

Ou seja, a sua companhia precisa fazer algo para resolver algum problema daquele cliente.

Por isso, você precisa ser muito criterioso e entender que está lidando com o sonho de uma outra pessoa. E se você falhar em cobrir esse gap, a sua empresa está fadada ao fracasso.

Dessa forma, você precisa entender que mais do que colocar dinheiro para dentro, você precisa ter prazer em resolver o problema das outras pessoas.

Não existe crescimento se você não promove resultados reais para quem te contratou.

Ou seja, se você quer reter os seus clientes e ter rentabilidade dentro da sua companhia, você precisa entregar resultado.

Relacionamento

O quarto R para escalar negócios deve permear os outros três. 

Relacionamento é um pilar que todas as companhias deveriam olhar com mais atenção.

Muitas pessoas se confundem na era da tecnologia e dos algoritmos, em que os softwares muitas intermedeiam a relação entre as pessoas.

Você pode utilizar um algoritmos e automações para chegar de um ponto A a um ponto B. Ou até plataformas digitais para acessar alguém. 

Mas o que muitas companhias acabam esquecendo, e fracassam, é de lembrar que do outro lado existe um ser humano. 

E é esse ser humano que está presente na tomada de decisão. Seja um cliente, ou alguma pessoa do seu time.

Por isso utilizo eNPS e NPS para saber exatamente a saúde dos relacionamentos dentro e fora da minha empresa.

Se na sua mentalidade, a sua companhia tem como objetivo somente fazer transações financeiras a qualquer custo, sem focar no relacionamento com a outra ponta, você não vai conseguir crescer de maneira saudável.

Presta atenção!

No âmbito das start-ups, vê se me entende, não é que eu não apoie o empreendedorismo. Muito pelo contrário. Sou viciado em negócios. E inclusive sou bastante presente no cenário emergente. Entretanto, com Shark Tank, filmes do Jobs, do Facebook e todos esses “unicórnios” à solta. Com verdadeiros desinvestimentos rápidos e aberturas de capital estrondosas, entendo porque o pensamento está distorcido.

Mas não, não é apenas porque um você ou investidor anjo lhe apoiou que sua empreitada fará dinheiro. Entenda de uma vez por todas…

…QUEM DECIDE É O MERCADO, NÃO UMA PLANILHA DE EXCEL…

  • Muito obrigado por ler! Eu acho fantástico que você tenha se importado o suficiente pra investir o seu tempo aqui.
  • Se alguma coisa neste artigo ressoou contigo, ou se você acha que alguém que conhece vai se beneficiar destas palavras, envie pra ele ou compartilhe com seus amigos. Isso significaria muito pra mim, de verdade.
  • Além disso, se você tiver interesse em acompanhar insights e dicas exclusivas sobre empreendedorismo não deixe de me seguir no IGTVInstagram e no Facebook. Você vai poder espiar o dia a dia de alguém que está na jornada de construir suas empresas e ser melhor a cada dia.
  • Também tenho um programa de perguntas e respostas no YouTube e um Vlog no qual você pode acompanhar minha rotina de empreendedor e de triatleta apaixonado.
  • Vamo que vamo!