DOR E SOFRIMENTO NÃO SÃO ABSOLUTOS

Quando você está se sentindo pra baixo de verdade, quando viver é uma dor, muita gente tem dificuldade em recuperar o otimismo e a positividade, tão necessários pra se andar pra frente.

O que sempre me ajuda nessas horas é o fato de que eu sei e aceito que a dor é inevitável.

E isso deve ser uma atividade racional.

Tenha plena convicção de que a dor faz parte da vida. Mas o que é ainda mais importante é reconhecer que nem toda dor é igual.

O sofrimento é sempre relativo. Nem toda dor é causada pelas mesmas coisas.
O problema é que apesar de ter origens diferentes, toda dor provoca uma reação negativa parecida.
E é aí que muita gente se confunde.

Todos nós queremos evitar a dor de um coração partido, a dor de um fracasso profissional ou a perda de alguém que amamos, não é?

O mesmo pode ser dito sobre a fome que sentimos no início de uma dieta, a dor das pernas queimando no quilômetro 37 de uma corrida longa, a vergonha após um fracasso público ou a dor de cabeça no final de um dia de 18 horas de trabalho.

O resultado é dor. o que sentimos é dor.
Mas os processos que nos levaram até ela não poderiam ser mais diferentes.

Essa diferença extrema da qual estou falando tem a ver com a origem da dor.

Acredito que todas as dores que sentimos são oriundas de duas coisas: processos e resultados. E é justamente por isso que a dor a relativa.

A dor causada por resultados negativos é sempre ruim. Na maioria esmagadora das vezes é causada ou por alguma tragédia, ou por evitarmos nossos compromissos e responsabilidades. Essa é a dor que sentimos quando perdemos alguém próximo ou quando um projeto tão sonhado dá muito errado.

Esse tipo de dor é horrível e deveríamos fazer de tudo para evitá-la.

Agora entra a questão…

nunca confunda resultados com processos.

Nunca confunda as dores de um e de outro. Durante todo processo de evolução definitivamente existirá dores.

Você vai receber uma porrada ou outra antes de vencer a luta. E vai doer legal. Pode ter certeza. A dor é inerente a qualquer batalha.

Mas faz todo o sentido quando você ganha mais um round. Quando você coloca o seu desafio na lona.

Entendo assim: se evitarmos a dor no processo nunca sairemos da nossa de nossa zona de conforto paralisadora. Nunca chegaremos perto de trazer nossos corpos e mentes na direção de fazer algo significante com nossas vidas.

Bater de frente e atacar suas responsabilidades e compromissos é um processo doloroso. Mas se materializa em um futuro de resultado prazeroso.

Em resumo temos que…

Atingir seus objetivos.
Construir aquela empresa que você sonha.
Tirar aquele projeto do papel.
Todos são processos dolorosos.
Mas sempre lembre dos resultados prazerosos.

Fugir dos seus compromissos. Não se forçar a fazer aquela repetição a mais. Não dar duro no trabalho. Comer uma porrada de merda. Estabelecer metas e não cumpri-las pode ser bom naquele dia, mas desastroso para sempre.

O importante aqui é enxergar que você vai sofrer de qualquer maneira.
Dor é uma resposta natural. Acho sensato então que, no mínimo, você tire algo de positivo dela. Que a dor resulte em evolução, em andar pra frente.

Durante o processo essa dor vai passar. O fim da jornada vai ser gratificante.

Afinal de contas, me diga você: vale apena sofrer em vão?

  • Muito obrigado por ler! Eu acho fantástico que você tenha se importado o suficiente pra investir o seu tempo aqui.
  • Se alguma coisa nesse artigo ressoou contigo, ou se você acha que alguém que você conhece vai se beneficiar de passar um olho nessas palavras, envia pra ele ou compartilha com seus amigos. Isso significaria muito pra mim, de verdade.
  • Além disso, se você tiver interesse em acompanhar insights e dicas exclusivas sobre empreendedorismo não deixe de me seguir no instagram e no facebook. Você vai poder espiar o dia a dia de alguém que está na jornada de construir suas empresas e ser melhor a cada dia.
  • Também tenho um programa de perguntas e respostas no YouTube.
  • Vamo que vamo!